quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

“Pontual”, por Tulipa Ruiz (Álbum Efêmera, 2010)

 

A cantora paulistana Tulipa Ruiz nos brinda com uma música simpática, revelando a gostosa relação entre o cinema e a criação musical. Na música “Pontual”, de seu álbum “Efêmera”, lançado neste ano que se finda em breve, a cantora com nome de flor mostra que o cinema é um mote sempre fecundo para falarmos sobre a sociabilidade, o cotidiano, as relações pessoais.

Vejam a parte literária da música:

“Creia, na boa,
queria ter chegado cedo mas hoje não deu
e no momento em que eu perco o filme do começo
não dá pra voltar
Chego quando abrir a sessão das dez
Vou assistir
Até que me organizei pra chegar
Não deu e foi mal, foi mal, não foi por mal
Queria tanto ler o letreiro
Saber de cara quem será na história o vilão
Ação, suspense, filme de ninja ou de amor
Próximo filme vou ser pontual
Pontual, pontual, pontual, pontual, pontual”

Não percam o toque chiquê retrô descolado da música. Dá pra sentir a influência da Jovem Guarda e de um “ambiente” anos 60.

Tulipa Ruiz e Zélia Duncan, em Pontual.